Home > Curiosidades > Tudo sobre Downhill
Tudo sobre Downhill
23/01/2018
Curiosidades

O Downhill, como uma vertente do mountain bike, veio para agradar aqueles ciclistas que adoram juntar manobras radicais, percursos técnicos, velocidade e adrenalina. A ideia é simples: descer uma longa distância com alguns obstáculos naturais pelo caminho. Mas, na prática, as coisas se tornam mais difíceis.


Muitas vezes o ciclista não conhece o percurso a ser descido, tornando tudo muito mais radical. É preciso muita técnica para escolher o melhor terreno, pular grandes pedras, desviar de árvores, pedras, buracos e galhos no caminho.


Para quem ama o esporte, a sugestão é ficar ligado nos vídeos do Red Bull Bike, que trazem grandes feras descendo percursos incríveis ao redor do mundo. Veja abaixo um exemplo onde o ciclista Max Stöckl pratica o esporte em meio a neve dos Alpes da Áustria.

Existe ainda a vertente urbana do esporte, o Downhill urbano, também muito conhecido. Na segunda vertente, os ciclistas descem percursos dentro das cidades, como escadarias e ladeiras.


Um grande exemplo de downhill urbano está no Brasil, mais precisamente em São Paulo. A descida das escadarias de Santos rouba a cena na primeira das etapas do Campeonato Mundial de Downhill Urbano. O evento organizado pela Confederação Brasileira de Mountain Bike em parceria com a Liga de Ciclismo do Litoral do Estado de São Paulo.

Equipamento e proteção

Para praticar o esporte é preciso equipamento de proteção específico. Diferente do equipamento convencional de MTB, o ciclista de downhill precisa de muito mais proteção, principalmente na região da cabeça e olhos, uma vez que a velocidade e o caminho sinuoso são características que não podem faltar.


Somando isso ao corpo frágil do ser humano, dá pra ter uma ideia do que pode acontecer, né? Basta uma escorregada de pneu para ir de cara no chão.


Portanto, os equipamentos de segurança são imprescindíveis. Começando pelo capacete, que tem características próprias para garantir a segurança do ciclista. Eles são modelo full face, ou seja, fechados como um capacete de motocross. Diferente dos de motocross, são bem mais leves, garantindo mobilidade e conforto para o ciclista.

A parte dos olhos é aberta, portanto é preciso utilizar esse equipamento junto com um óculos para Downhill. Esse modelo de óculos é bem semelhante ao óculos de motocross, isso também tem a ver com a abertura do capacete, que tem circunferências bem parecidas nos dois modelos. Portanto, se você já curte acelerar de moto nas trilhas, e pretende começar Downhill para praticar um esporte diferente, não tenha medo de utilizar seu óculos de motocross/ enduro ou trilha.


Além do óculos e capacete, outras proteções são extremamente necessárias para a prática do esporte. É o caso das luvas, que protegem as mãos, já essa parte do corpo fica em contato com a manopla e o atrito pode causar machucados e calos nas palmas e dedos.


Outros equipamentos muito usados são as joelheiras e cotoveleiras, garantindo um esporte com segurança e alta performance, já que o ciclista se sente confiante e seguro.  

Quanto as roupas técnicas, podem variar de acordo com estilo do ciclista e ambiente que está pedalando. Por exemplo, alguns usam calças compridas, outros bermudas, camisetas de manga curta ou comprida, tênis. Mas, em linhas gerais, a maioria dos ciclistas optam por roupas de motocross para praticar o esporte. 

As roupas de motocross podem ser leves e ventiladas, basta o ciclista escolher a que melhor se adapta. Além disso, possuem alguns pontos acolchoados nas pernas, elásticos para melhor movimentação e um tecido com uma trama resistente. 

A bike de downhill

Para praticar o esporte sua bike deve ter algumas particularidades que asseguram seu pedal com qualidade. A primeira delas é leveza, uma bike de downhill precisa ser leve para conduzir o ciclista nos mais intensos terrenos, permitido que esse possa ter velocidade e controle. Com as inovações tecnológicas do mercado, a maioria delas é feita de carbono e pesa entre 16 e 23 quilos.


A geometria tem o centro de gravidade mais baixo que as bikes de mountain bike, o que facilita para ter maior controle nas curvas e equilíbrio sob ela. Os pneus geralmente são mais largos e com espinhos para melhorar a tração com o solo. Bicicletas desse tipo geralmente usam aro 26”, mas tendem a se atualizar para 27,5”, como o exemplo abaixo do modelo Specialized Demo 8, lançamento para 2018.

Provas de Downhill

As competições da modalidade são relativamente novas, a primeira delas aconteceu na década de 90 e o esporte vem crescendo desde então. Hoje existem diversos tipos de eventos e competições, no Brasil e fora, inclusive você pode acompanhar todas elas no calendário da Confederação Brasileira de Ciclismo.


Entre os maiores eventos, estão o Campeonato Brasileiro de Downhill, Copa América de Downhill e Copa do Mundo de Downhill. Para explicar melhor como funcionam as provas de DH preparamos um passo a passo, assim você pode acompanhar as provas e entender melhor como tudo funciona.

Passo 1: Entendendo a modalidade

Entender o DH é simples: vence o ciclista que descer a montanha no menor tempo. Cada ciclista desce individualmente, com intervalo de 30s a até 2min entre seus competidores, de acordo com o circuito. Para ter precisão no tempo de prova, cada ciclista tem preso à bike um chip que capta o tempo exato entre a largada, parciais na pista e chegada.


A ordem em que os ciclistas descem pode ser  determinada em um treino cronometrado antes da competição ou, dependendo do campeonato, na classificação geral dos competidores. Assim o competidor mais lento larga por primeiro, e o mais rápido é o último a sair.

Passo 2: Reconhecimento da pista

Antes da competição todos os ciclistas fazem a pé o percurso que irão passar de bike mais tarde. Dessa forma conseguem fazer um reconhecimento de terreno, analisar as melhores possibilidades, ver as linhas mais velozes e as melhores técnicas para se usar.


Utilizando o reconhecimento da pista, os ciclistas memorizam todos os trechos da pista, alguns até tiram fotos e fazem vídeos para ajudar a lembrar e analisar posteriormente.

Passo 3: Treino cronometrado

Existem dois tipos de treino, o livre e o cronometrado. No treino livre os ciclistas podem percorrer diversas vezes a pista, voltando em alguns obstáculos e tentando praticar ao máximo em cada ponto. O treino cronometrado, como citado acima, é quando os ciclistas fazem o percurso para decidir a ordem de largada.

Passo 4: O dia da prova

No dia da prova os ciclistas ainda tem uma oportunidade de fazer o percurso antes da hora da decisão. Geralmente fazem isso pela manhã, descansam e logo se mantém aquecidos para a prova. Muitos usam rolos de treino, assim estão prontos para darem seu máximo na sua hora de correr.


Em campeonatos como a Copa do Mundo de DH, na linha de chegada fica a poltrona do campeão, chamada hot seat. O ciclista que fizer o melhor tempo tem seu lugar garantido e exclusivo para comemorar.

Posts Relacionados
Promoções MX
REDES SOCIAIS
Informe seu e-mail e receba notícias e novidades
MX Bikes Comercio Artigos Esportivos Eireli - ME | CNPJ: 08.933.109/0001-93 | Rua Sem Denominação 210 - Contenda São José dos Pinhais - PR CEP. 83115-970
Copyright 2007-2015 mxparts.com.br. Todos os direitos reservados.